Maré Vive

Rio /

Audio comovente de uma criança enviado para seu pai após ter ficado 5 horas deitada no chão da escola em meio a tiros de grosso calibre durante operação policial na Maré durante o dia de ontem. Já nascemos sobreviventes.

Não existe meritocracia quando isso é exclusividade das favelas e periferias. Não adianta fazer yoga, namastê, cortar a carne, a cerveja de milho, terapia, bater tambor ou ir no culto. Enquanto isso for “normal” e não chocar como deveria, a violência continuará sendo a nossa maior companhia.

E se fosse o seu filho? E se fosse seu vizinho? Seu neto? Sobrinho? E se essa criança fosse você? Já imaginou quantos traumas? É hora de se levantar favela.

Não dá pra se comover só com os filhos das madames.

Otros posts

Maré Vive

Caribe /

A resistência se encontra em todos os cantos dessa favela linda chamada Maré! Desde sua fundação aos dias de hoje. Um salve aos Pré Vestibulares Comunitários de todas as Favelas e Periferias. A [...]

Maré Vive

Caribe /

Fala tu Morador!? Hoje, terça-feira, já aguardando aquele pão na chapa com aquele pingado de leve, esperamos que o dia seja de boa pra geral. Bom descanso aos que tão chegando da batalha, aos que [...]

Maré Vive

Caribe /

Coé Morador!? Se liga na visão! Via Moradora e Mãe de uma Criança Autista. “Hoje é o Dia Mundial da conscientização do Autismo, e na nossa comunidade, há muitas crianças autistas que tem [...]