Maré Vive

Rio /

Ler esse texto em lágrimas, lembrei de minha mãe que à 9 anos nos deixou, e duvido que ao ler, não ficará também. Deixe um pouco de sua vivência com seu pai, mãe, avó, avô, tio, tia, irmãos no comentários.

“Querido Pai,
Este aí na foto é você com quase a idade que tenho hoje me segurando no colo numa das festinhas de aniversário da minha infância que você e minha amada mãe organizaram com tanto sacrifício. Eu te agradeço por isso, meu velho. E te agradeço por tantas e tantas coisas nessa sua longa jornada de vida que me proporcionou ser hoje, a pessoa que eu sou. Agradeço o seu esforço extraordinário pra que nada nos faltasse, mesmo em meio a inúmeras adversidades. O senhor era um homem simples. Um trabalhador honesto. Um nordestino que, entre tantos outros milhares migrou pro sudeste pra tentar realizar sonhos. Construir família e ter uma casa para criá-la da melhor forma possível. O senhor conseguiu, meu pai. E por tantos e tantos mercados e padarias o senhor passou a vida trabalhando pra juntar um dinheirinho e fazer valer a pena tanto suor derramado. A falta de oportunidade para estudar não impediu que o senhor caminhasse em direção aos seus sonhos. E o senhor conseguiu, meu coroa. Eu reconheço o quanto foi difícil sair diariamente pelas madrugadas pra ganhar o pão de cada dia para enfim comprar a nossa casinha. Não era num bairro de luxo. Não era sequer num lugar em que a sociedade considera bairro. Mas não importa. Ter sua casa comprada com o fruto do seu sacrifício era um dos seus maiores orgulhos. A favela dignifica cada trabalhador como aquele que o senhor foi.. Isso porque, cada pedaço de tijolo; cada cimento que compõe o piso e as paredes; cada janela, cada encanamento de água e esgoto não foram benevolências de ninguém. Foi resultado de muito sofrimento, e força bruta empregada nos subempregos da vida. Mas o senhor conseguiu, meu amado pai. Junto com a minha mãe guerreira, vocês permitiram que eu estudasse e chegasse a um degrau tão alto que nenhum de nós imaginaria que seria possível. Sei que o senhor tinha muito orgulho disso. Certamente, pensava: “minha missão foi cumprida”. E eu garanto. Foi cumprida com louvor. Parabéns, meu velho. Como vou sentir falta da forma carinhosa como me chamava, “nego preto do pai”. Sei também o quanto desejou ver nascer e crescer seus netinhos. Mas não se preocupe. Eles saberão quem foi o avô. Eles saberão que, se terão todas as oportunidades na vida pra ser o que quiserem ser, eles devem agradecer aos avós. Verdadeiros pioneiros da batalha que não deixaram nos faltar nada. Fique tranquilo, meu coroa. O senhor fez um excelente trabalho por aqui. Seu filho, este ano vai ser “doutô”…e doutor de verdade (que tem doutorado). Obrigado por isso. Obrigado por tudo. Vou sentir sua falta. Mas sua história será contada. O senhor está no meu coração. PAI, EU TE AMO….!”

Tamos juntos Humberto Salustriano

#marévive

Otros posts

Maré Vive

Caribe /

A resistência se encontra em todos os cantos dessa favela linda chamada Maré! Desde sua fundação aos dias de hoje. Um salve aos Pré Vestibulares Comunitários de todas as Favelas e Periferias. A [...]

Maré Vive

Caribe /

Fala tu Morador!? Hoje, terça-feira, já aguardando aquele pão na chapa com aquele pingado de leve, esperamos que o dia seja de boa pra geral. Bom descanso aos que tão chegando da batalha, aos que [...]

Maré Vive

Caribe /

Coé Morador!? Se liga na visão! Via Moradora e Mãe de uma Criança Autista. “Hoje é o Dia Mundial da conscientização do Autismo, e na nossa comunidade, há muitas crianças autistas que tem [...]